sábado, 16 de janeiro de 2016

Resenha do livro "Quadrinhos e Crítica Social"

Resenha
Quadrinhos e Sociologia
Um debate viável e necessário na obra acadêmica “Quadrinhos e crítica social: o universo ficcional de Ferdinando”, de Nildo Viana
Oscar W
illiam Simões Costa
Quem tem participado atualmente de eventos envolvendo temáticas de Histórias em Quadrinhos (doravante HQs) e afins no Brasil, seja como produtor, consumidor, ouvinte ou pesquisador de artes sequenciais, tem acompanhado em algum momento discussões sobre a profusão de reedições e novas publicações de livros (incluindo o formato ebooks), advindas de estudos acadêmicos sobre o assunto.
Embora bem-vindas as publicações neste contexto, alguns campos acadêmicos ao que parece, tem se destacado mais do que outros quanto ao fomento de trabalhos acadêmicos (e respectivas publicações) envolvendo HQs. Lacunas científicas que não passam despercebidas nas discussões do Prof. Nildo Viana, Sociólogo e Filosofo, Doutor em Sociologia, docente da Universidade Federal de Goiás (UFG), onde, segundo ele, o campo das Ciências Sociais em especial tem ainda poucos trabalhos nestas temáticas quando comparado a outros espaços de debates acadêmicos.

Com esta perspectiva inicial, o Prof. Nildo, com vasta gama de produção acadêmica e publicações no contexto da Sociologia, incluindo HQs e Cinema, apresenta nesta obra, Quadrinhos e crítica social: o universo ficcional de Ferdinando, não apenas uma interessante pesquisa envolvendo HQs e Sociologia, mas também uma importante discussão sobre a aproximação entre HQs e Ciências Sociais, fazendo compreender que as HQs enquanto permeadas por aspectos de ordem política e social, se entrelaçam aos debates de cunho teóricos metodológicos pertinentes aos estudos deste campo.

O livro de 170 páginas pode ser dividido em nove partes, destas o Prof. Nildo Viana dedica duas a uma discussão pontual sobre Quadrinhos e Sociologia, fazendo reflexões sobre as HQs neste campo, bem como explorando possibilidades teóricas para análise de obras neste contexto, a exemplo da dialética. As demais partes, não menos importantes, compõem o corpo da pesquisa tema da obra, incluindo, a introdução e as conclusões (com referências).

Partindo destas informações, destaco dois aspectos que considero relevantes para o estudo acadêmico de HQs em especial no campo das Ciências Sociais, a partir desta obra:

Primeiramente é uma obra bastante atual, com publicação no ano de 2013, representando para o atual circulo virtuoso das Histórias em Quadrinhos no Brasil uma oxigenação nos debates acadêmicos sobre HQs, em especial para o campo das Ciências Sociais, considerando não apenas o fato destas referências nacionais com aproximações de Ciências Sociais e HQs em contexto acadêmico ainda serem raras (embora este cenário esteja mudando), mas também a constatação de que algumas destas obras tidas como “clássicas” nestas mesmas aproximações, estarem, embora reeditadas, conceitualmente desatualizadas (quando não anacrônicas), tendo entre 20, 30 ou mais anos de publicação, considerando quando originalmente publicadas.

Outro aspecto bastante relevante é o conteúdo da pesquisa apresentada na obra em si, onde o Prof. Nildo Viana, ao explorar o universo “ficcional” do personagem conhecido no Brasil como “Ferdinando” (Li’l Abner no original) de Al Capp, pseudônimo do cartunista, escritor e conferencista norte-americano Alfred Gerald Chaplin, que satiriza as “famílias caipiras” americanas, apresenta diversas observações, caminhos e uma abordagem teórica metodológica cujo percurso não apenas enriquece o debate sobre o uso acadêmico das HQs, mas também de sua aproximação enquanto recurso de pesquisa nas Ciências Sociais, em especial da Sociologia.

Para a construção dessas ideias o Prof. Nildo Viana escreve de forma clara, desenvolvendo seus textos e argumentos em uma linguagem científica agradável, sem prejudicar a seriedade das temáticas envolvidas, nem tornando a obra densa do ponto vista textual (como é muito comum no meio acadêmico sobre estas temáticas), deixando a leitura palatável para o entendimento dos objetivos propostos para leitores/pesquisadores.

Por fim, a obra Quadrinhos e crítica social: o universo ficcional de Ferdinando dentre muitos outros aspectos não citados, não apenas se constitui de um relevante debate acadêmico de cunho sociológico que faz uso de HQs, mas também, vem se somar às atuais referências acadêmicas nacionais nos estudos acadêmicos de HQs, ampliando esses debates e o consequente número de publicações com estas temáticas, diminuindo gradativamente qualquer possível escassez destes estudos no campo das Ciências Sociais. Ao aproximar HQs e Sociedade, esta obra torna não apenas este debate viável, mas, por que não dizer, necessário.

Quadrinhos e crítica social: o universo ficcional de Ferdinando
Nildo Viana
Coleção Invenção e crítica. Rio de Janeiro: Editora Beco do Azougue, 2013, 170p.


Oscar William Simões Costa, 42, nasceu em Campina Grande, Paraíba. Artista Visual, Ativista Cultural, Quadrinista e Pesquisador Acadêmico na linha de Pesquisa de Política e Mídia, Especialista em Política e Gestão com ênfase em Democracia e Sociedade (UFCG), Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). E-mail: oscar.william@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário